Como se tornar um correspondente de crédito imobiliário?

Como se tornar um correspondente de crédito imobiliário?

O crescimento no volume de operações de financiamento de imóveis fez surgir uma nova oportunidade de negócios no setor: o correspondente de crédito imobiliário.

Este é um agente autorizado a realizar uma série de serviços de intermediação entre os clientes e os bancos. Trata-se de um ramo de atuação promissor para imobiliárias e corretores de imóveis, que garante considerável lucratividade.

Neste post, você entenderá como funciona esse tipo de serviço e o que é preciso para se tornar um correspondente imobiliário. Acompanhe.

O que faz um correspondente imobiliário?

De modo geral, esse profissional é responsável por realizar a intermediação entre as instituições financeiras e clientes interessados no financiamento de imóveis. O correspondente de crédito imobiliário está autorizado a resolver e encaminhar todos os processos necessários para a solicitação e aprovação da operação.

Criado para agilizar o atendimento da demanda pelo crédito imobiliário, desafogando as agências bancárias, o correspondente imobiliário desfruta de certa autonomia para realizar o encaminhamento das solicitações.

Como representante oficial dos bancos, ele pode não apenas auxiliar os clientes no que diz respeito à documentação necessária para o negócio, mas, também, analisar a renda ou a capacidade de endividamento do solicitante.

Assim, quando o correspondente imobiliário encaminha o pedido do cliente ao banco, ele já está pré-aprovado ou com a maioria dos pré-requisitos necessários para a aprovação atendidos.

No caso da Caixa Econômica Federal, por exemplo, para realizar esses procedimentos, os correspondentes imobiliários acessam diretamente os sistemas do banco em tempo real, o que garante a agilidade do atendimento.

Quais os benefícios oferecidos por esse profissional?

Hoje, pode-se dizer que a atuação dos correspondentes imobiliários se tornou praticamente indispensável. Para o banco, a parceria garante uma considerável ampliação da capacidade de atendimento. Para os corretores e imobiliárias, abriu-se uma nova e rentável oportunidade de negócios.

Os clientes, por sua vez, foram beneficiados com a ampliação da rede de atendimento, o que facilita o encaminhamento dos pedidos sem custos adicionais, já que os correspondentes são remunerados pelo próprio banco.

O tempo médio para a conclusão da compra do imóvel também diminui significativamente com a ampliação dessa rede de facilitadores.

Quais os requisitos para se tornar um correspondente imobiliário?

Apenas pessoas jurídicas podem atuar como correspondentes imobiliários. Além disso, é preciso comprovar que se tem estrutura para realizar o atendimento ao público-alvo dos produtos financeiros imobiliários.

Também é necessário apresentar uma série de documentos relativos à empresa, como contrato social, cartão do CNPJ, CPF dos sócios, entre outros registros importantes.

Outro requisito é uma certificação específica. A atividade de correspondente imobiliário é regulamentada pela resolução nº 3.954 do Banco Central. Entre as normas que ela estabelece está a exigência da certificação CA-300, pois ela comprova que o profissional está apto para atuar na intermediação dos contratos de financiamento.

A CA-300 aborda temas como o Sistema Financeiro da Habitação, seguros e garantias imobiliárias. A concessão do certificado ocorre mediante aprovação em exame realizado pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança — Abecip.

Essas são as principais informações que você precisa saber sobre a atuação do correspondente imobiliário. Se você se interessou pela área e quer se qualificar, não se esqueça de que a certificação CA-300 é fundamental!

Este conteúdo foi útil para você? Ainda ficou com dúvidas sobre o assunto? Então, que tal deixar suas observações nos comentários do post?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *